O impacto do álcool na adolescência

barney_simpsonsUma nova pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Washington trouxe mais uma comprovação do que todo mundo já sabe – ou, pelo menos, deveria saber: excesso de álcool na adolescência acarreta em adultos idiotas. Bem, não necessariamente nessas palavras, mas o resultado foi bem claro ao afirmar que o abuso de bebidas alcoólicas na adolescência pode ter efeitos danosos no processo de tomada de decisão na vida adulta.

Para horror do Robson, a pesquisa foi realizada com ratos adolescentes; mesmo porque, ninguém quis servir de cobaia, como sempre. Até acredito que quiseram usar aqueles adolescentes imundos que perambulam perto de sarjetas, ao Deus dará, mas ainda temos certas normas de civilização e os ratos… bem, são ratos. Reproduzem rapidamente e crescem numa velocidade maior que seres humanos, demorando menos empo para termos resultados. Merda acontece, Robson.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Cyberbullying: A Violência Infantil no mundo digital e suas vítimas

devil_childO Bullying é o ato covarde propalado pelos bullies (em bom português, valentões), que não passam de um bando de idiotas que usam sua condição de superioridade física, numérica ou mesmo hierárquica para impor medo e agir menos como selvagens, pois até mesmo as tribos ditas “selvagens” não agem feito uma cepa de retardados. O bullying está presente desde o colégio, até mesmo em empresas, passando por faculdades, forças armadas, vizinhança etc. O mundo virtual – o chamado ciberespaço (do termo em inglês cyberspace) –, como sendo um reflexo de nosso mundo real, Neo, não fica diferente disso, ainda mais quando se conta com a facilidade de se esconder por trás de uma tela brilhante, dando uma suposta liberdade de se fazer oi que quiser, causando até mesmo mortes de adolescentes. Aqui vamos nós para mais uma viagem pelo terreno mais obscuro do Universo: a mente humana.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

H1N1 muda o comportamento das pessoas pelo mundo afora

influenzaA nova onda é a famigerada gripe suína, onde o malfadado H1N1 trará morte e destruição, fazendo-nos cair na barbárie, matando-nos mutuamente, deflagrando guerras e propiciando miséria e fome. Infelizmente, a humanidade já tava assim antes e o vírus deve ter pensando “Holy crap! Cheguei tarde!”. Não obstante, o comportamento das pessoas mudou com isso, e há uma onda de higienização, que tende mais para palhaçada, já que o ser humano tem um gene especializado em burrice, expressado quando qualquer evento fora do comum acontece, ainda mais quando tais pessoas possuem grau de inteligência equivalente ao de uma ameba retardada (cerca de 90% da população).

A “mania de limpeza” (que não passa de mania, mesmo) chega até mesmo nos mais profundos meandros da psique humana, a ponto de refletir no lado mais obscuro da mente, principalmente nas partes responsáveis pelo sentimento religioso. Por causa do vírus stephenkingiano que está prestes a dizimar a humanidade (será o arrebatamento chegando?), as autoridades da cidade de Nápoles decidiram impedir seus devotos de ficarem beijando um relicário que, supostamente, de San Gennaro.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

A incrível eficiência energética dos neurônios

neuronioApesar da sua massa ser relativamente uma simples fração do corpo (coisa de cerca de 2%), o cérebro humano consome cerca de 20% de toda energia que gastamos diariamente. Isso significa dizer que 1/5 de toda energia que você ingere vai pra sua cabeça, nem que seja para escrever tolices no Orkut ou dar aquela cantada ridícula em alguma garota num baile funk. No entanto, pesquisadores sondaram a dinâmica de um impulso nervoso que percorre um axônio – que é justamente o responsável pela transmissão dos impulsos elétricos, servindo de “mensageiros” até a parte do corpo a ser comandada –, e determinou que o processo de queima através de uma quantidade surpreendentemente pequena de energia, apenas 1,3 vezes o mínimo teórico.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Salmonellas podem ajudar no tratamento do câncer

salmonellaTenho boas e más notícias. Como? Você quer a má primeiro? Tudo bem! Se você é daqueles que gosta de ovos quase crus, toma gemada, adora carne de frangos não muito cozidas (com Z, se for com S, você estará, no máximo, costurando o frango) e não é asseado o suficiente – ou paranóico – para se certificar da procedência de seus alimentos, você tem grandes tendências de contrair salmonelose, uma doença infecciosa provocada por um grupo de bactérias do gênero Salmonella, que pertencem à família Enterobacteriaceae e, acredite, não é o tipo de coisa que você gostaria de contrair. A boa notícia? Ah, sim! Esta bactéria desgraçada pode ser a chave para a destruição de tumores sólidos. Em suma: elas podem ajudar no combate ao câncer. Viu como até o mais asqueroso dos seres pode ter alguma serventia?

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Pesquisa comprova: Homens ficam bobos na presença de mulheres bonitas

megan_fox_peqVocê, meu caro amigo, é daqueles que quando vai falar com alguma gostosa moça de belos atributos físicos fica paradão, sem saber direito o que dizer? Não se acanhe, isso é facilmente explicado por uma pesquisa que comprovou que nós, manés homens que passam alguns minutos a mais na companhia de mulheres atraentes, acabamos tendo um desempenho cerebral inferior do que aqueles azarados que estão sozinhos ou acompanhados de uma mocréia moça não tão bonita assim.

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Pesquisadores determinam variabilidade genética entre dois homens

dnaO Sábio Senhor do Ceticismo.net responsável pelo setor de Ciência e Assuntos Religiosos (eu, prazer) acha que as notícias sobre ciência devem passar por uma averiguação, checar fontes, postar os links das publicações indexadas e tecer maiores explicações sobre o assunto em questão. Assim, evitamos o caso do Peixe Highlander.

De acordo com notícia da BBC, Um estudo sugere que cada ser humano possui pelo menos 100 mutações genéticas no DNA, fazendo de nós mutantes. O problema é que SOMOS mutantes, mas não é de hoje. Se nosso código genético não tivesse mutações ao longo de nossa história evolutiva, ainda seríamos uma ameba (apesar que muitas pessoas pensem como uma ameba).

Clique aqui para ler o restante deste artigo »