Menino de dois anos se casa com cadela na Índia

casamento_cadelaNão conheço um único homem que não tenha arrumado uma namorada… digamos… de moral duvidosa. Se você é daqueles que AINDA não experimentou, não sabe o que tá perdendo. Temos um pequeno trecho no nosso cromossomo Y que nos faz aproximar criaturinhas que podem ser descritas como: vagabundas, vadias, safadas, sirigaitas, ordinárias, pistoleiras, periguetes, chave de cadeia, cretinas e, é claro, cachorras.

Claro que só mulheres são tão delicadas assim para se referirem a outras mulheres. Homens preferem chamar logo de puta mesmo ou, de um modo mais amistoso, “primas”. E é claro que eu já tive a minha cota, mas hoje encontrei a luz, a verdade e a vida… (não, não é Jesus. Sou um cético facão). O doce amor da minha vida que adoça os meus dias, promove minha felicidade, cuti-cuti-cuti (pronto, já puxei o teu saco, agora vai fazer a porra da janta, mulé!).

Nesse mundoi ensandecido, onde idiotas fazem e acontecem, o absurdo acaba se tornando comum e alguns levam certos adjetivos a sério. Como foi o caso de um garoto que se casou com uma cachorra de verdade (sim, o mamífero quadrúpede da família Canidae). O país onde uma tosqueira dessas aconteceu? Na Índia, ora. Não leu o título?

Clique aqui para ler o restante deste artigo »

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: