Ser mulher e esportista é um pecado para alguns países islâmicos

“Esta é uma residência governamental e tanto a piscina como os ginásios são só para homens”, afirma o recepcionista do Palácio de Conferências de Jedá. É assim em todas as instalações públicas da Arábia Saudita, incluindo suas escolas e seus institutos.

Amparado por “razões culturais e religiosas”, o país afasta sem rodeios suas mulheres do esporte. Não é um caso único. Às portas dos Jogos de Pequim, que começam em 8 de agosto próximo, as restrições às desportistas nos países muçulmanos continuam na ordem do dia. Tamanha é a discriminação que um grupo de ativistas pediu ao Comitê Olímpico Internacional (COI) que cumpra seus estatutos (que exigem a não-discriminação por motivo de sexo) e proíba a participação dos países que excluem as mulheres das competições internacionais. Read more »

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: