Cientistas vêem com ceticismo o caso do dedo decepado

No maravilhoso mundinho das pseudociências, a onda agora é algo que eu chamo de “Sindrome Dactilomórfica do Wolverine”. Trocando em miúdos, alegaram que fizeram o dedo de um homem chamado Lee Spievak, de 69 anos, (que havia perdido a ponta do mesmo quase até a primeira junta – ao colocá-la na hélice de um avião miniatura, em 2005) crescer de novo que nem estrela-do-mar, com o auxílio de um pózinho mágico (provavelmente, trazido pela fada Sininho, que era “vapor” do Walt Disney).

Obviamente, cientistas sérios torceram o nariz para essa bobagem e estão querendo saber como o negócio funciona. Pois esse negócio de Fator de Cura funciona muito bem nas Histórias em Quadrinhos. Read more »

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: